A declaração do presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, de que “os postos são rápidos em repassar aumento de preços aos consumidores e são lentos para repassar quedas de preços”, levou vários revendedores a questionar e repudiar a atitude do dirigente estatal.

A declaração foi dada no dia 13 de janeiro ao jornal Valor Econômico.

Clique no lado e leia a reportagem completa. Screenshot_2021-01-13-06-11-59-659_br.com.valor.mobile (1)

Revendedores em todo o país sentiram indignados e a resposta veio através de notas de repúdio de alguns sindicatos da categoria.

Vejam algumas notas que foram publicadas nos veículos de comunicação e nos grupos de whatsapp.

PARANAPETRO

Em nota, o Paranapetro diz: O PARANAPETRO, entidade que representa mais de 2.700 postos revendedores de combustíveis do Estado do Paraná, vem a público repudiar veementemente a declaração do Presidente da Petrobrás, senhor Roberto Castello Branco, ao jornal Valor Econômico, datado de 13 de janeiro de 2021, segundo a qual “os postos são rápidos em repassar aumento de preços aos consumidores e são lentos para repassar quedas de preços”.

A declaração expressa uma grave e surpreendente falta de conhecimento do mercado, pois ignora completamente que a cadeia de combustíveis não é formada apenas por refinarias e postos. Os postos não podem comprar diretamente das refinarias – são obrigados a comprar das distribuidoras. E conforme o Paranapetro tem apontado há mais de dois anos, quando iniciou a nova política de preços da Petrobras, são as Distribuidoras que têm repassado as altas com grande agilidade, ao mesmo tempo que demoram ou não repassam integralmente as baixas.

Fonte: https://paranaportal.uol.com.br/opiniao/sintonia-fina/postos-de-gasolina-repudiam-insinuacao-do-presidente-da-petrobras/

SINDICATOS DE SÃO PAULO

Os sindicatos vêm à público externar contrariedade quanto à fala do presidente da Petrobras em entrevista concedida ao Jornal Valor Econômico, publicada em 13/01/21, que denota haver demora por parte dos postos revendedores no repasse das quedas dos preços dos combustíveis ao consumidor final.

FONTE: http://www.resan.com.br/noticias-integra/34542-nota-publica-sindicatos-respondem-a-declaracao-do-presidente-da-petrobras/

 

+++ LEIA TAMBÉM : ANP vê leve desconcentração na distribuição de combustível

MINASPETRO

Nota de Repúdio à fala do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE DERIVADOS DE PETRÓLEO NO ESTADO DE MINAS GERAIS – MINASPETRO, entidade sindical patronal, representante dos mais de 4,5 mil postos revendedores de combustíveis de Minas Gerais vem, respeitosamente, por meio desta nota, repudiar a fala do Presidente da Petrobrás, Sr. Roberto Castello Branco em entrevista cedida ao jornal Valor Econômico, publicada nesta quarta-feira (13), onde o mesmo alegou que os postos são lentos no repasse das quedas dos preços dos combustíveis para os consumidores.

Infelizmente, pela segunda vez, o Presidente da Petrobrás passa uma informação incompleta e incorreta ao mercado, jogando mais uma vez a culpa dos aumentos dos combustíveis aos revendedores. Esqueceu, mais uma vez, que nesta cadeia entre poço e posto, existe o papel das distribuidoras, usinas de biocombustíveis (etanol e biodiesel) e PRINCIPALMENTE da complexa carga tributária que não acompanha, na mesma velocidade, as variações de preços anunciadas pela Companhia. Até quando os revendedores serão tratados como vilões?

No período analisado pelo Sr. Roberto Castelo Branco, o Brasil enfrentava a COVID, com severas restrições nas principais cidades do Brasil, e os postos Sr. Branco, continuaram a funcionar, sem ter o cliente, amargando quedas de até 70% nas vendas, mas prestando um serviço essencial à população brasileira como deve ser. Como economista, o Sr. deveria saber que o equilíbrio financeiro de uma empresa é definido pela equação: (margem x volume) – custos.

Além disso, vale salientar que o mercado de combustíveis é extremamente competitivo, e os postos trabalham com margens baixíssimas. Os tributos correspondem à quase 50% dos preços finais dos combustíveis no Brasil e, para efeitos de comparação o lucro da Petrobrás no ano de 2019, sozinho, foi maior do que a soma do lucro de todos os 44.000 postos de combustíveis do Brasil.

A culpa dos preços dos combustíveis é de quem mesmo Sr. Castelo Branco?

Fonte: http://minaspetro.com.br/noticia/minaspetro-repudia-declaracao-do-presidente-da-petrobras/

SINDIPETRO SANTA CATARINA

NOTA DE REPÚDIO do representante da revenda catarinense em relação às declarações do presidente da Petrobras, Sr. Roberto Castello Branco.

O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE DERIVADOS DE PETRÓLEO DO ESTADO DE SANTA CATARINA – SINDIPETRO, entidade sindical de primeiro grau, com abrangência e base territorial intermunicipal no Estado de Santa Catarina, representante da categoria econômica “do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo”, por seu presidente, vem a público manifestar seu repúdio em relação às declarações do presidente da Petrobras, Sr. Roberto Castello Branco, em entrevista que concedeu ao Jornal Valor Econômico, publicada na última quarta-feira, 13 de janeiro de 2021.

O SINDIPETRO/SC é o órgão de representação da categoria econômica da revenda varejista de combustíveis automotivos em Santa Catarina, com abrangência intermunicipal e base territorial em aproximadamente 70% do território catarinense.

No último dia 13 de janeiro de 2021, esta entidade recebeu, com surpresa, diga-se de passagem, as declarações do presidente da Petrobras, Sr. Roberto Castello Branco, alegando que os postos são lentos em repassar ao consumidor as quedas nos preços dos combustíveis, em relação aos reajustes anunciados pela estatal.

O SINDIPETRO/SC repudia, com veemência tais alegações, porque mais uma vez o presidente aduz informações incompletas, induzindo o grande público em equívoco, apenas imputando de forma simplória e desarrazoada a culpa pelos aumentos aos postos de combustíveis (revendedores varejistas, componentes do conhecido down-stream). A fala do presidente não levou em consideração que a cadeia de comercialização de combustíveis, desde o refino até a ponta (varejo) é extremamente complexa , passando por distribuidoras, usinas de biocombustíveis (etanol e biodiesel).

Além disso, o presidente da Petrobras deixou de considerar a complexa e acentuada carga tributária, que corresponde a praticamente 50% do preço final praticado nas bombas. A fatia do varejo é a menor entre todos os componentes da cadeia.

E, no período considerado pelo Presidente, para fins da análise realizada, o país vem amargando os nefastos efeitos da pandemia de COVID-19, que assola o planeta e representa severas restrições. Os postos, como atividade essencial e de interesse público, permaneceram em operação, mesmo sem a circulação de pessoas, o que representou, em determinados casos, até 70% de queda nas vendas.

Ora Sr. Presidente, a sua fala não considerou ainda que o equilíbrio financeiro das empresas depende da equação (margem x volume) – custos; e que o mercado de combustíveis no Brasil é extremamente competitivo, sendo que as empresas têm trabalhado com margens achatadas.

Por fim, para efeitos de comparação, verifica-se que o lucro da Petrobras no ano de 2019 foi, sozinho, maior que a soma do lucro de todos os 44.000 postos de combustíveis espalhados pelo Brasil.

Pelas razões sucintamente apontadas acima, o SINDIPETRO/SC repudia, com veemência, as declarações do Sr. Roberto Castello Branco, tendo em vista que a revenda de combustíveis não aceita ser tachada de vilã ou culpada pelo alto valor cobrado dos consumidores.

Exigimos, além disso, retratação pública por parte do presidente, Sr. Roberto Castello Branco, com vistas a restabelecer a verdade ao grande público.

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE DERIVADOS DE PETRÓLEO DO ESTADO DE SANTA CATARINA – SINDIPETRO/SC

Fonte: https://www.sindipetro.com.br/nota-de-repudio-ao-presidente-da-petrobras-sr-roberto-castello-branco/

Sindicombustíveis-BA

Sindicombustíveis critica presidente da Petrobras após fala sobre aumento de preços

Segundo Roberto Castello Branco, revendedores demoram a repassar a queda dos preços ao consumidor

O Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniências do Estado da Bahia (Sindicombustíveis-BA) repudiou o comentário feito pelo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, após ele sugerir que o aumento no preço dos combustíveis seria culpa dos revendedores.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, na quarta-feira (13), Castello Branco descartou a possibilidade de perspectiva de preços a longo prazo. De acordo com ele, é preciso antes “sentir do mercado para poder fazer a precificação”. Ele ainda afirmou que não existe a possibilidade de fazer um reajuste diário e criticou os revendedores que, de acordo com ele, demoram a repassar a queda dos preços.

“Os revendedores são rápidos em repassar aumento de preços para os consumidores e são lentos para repassar queda de preços. Por exemplo, no ano passado, nos quatro primeiros meses do ano a Petrobras reduziu o preço do diesel em 44%. Os revendedores reduziram em 14%. A rapidez é na alta, na queda vai lento. Sobe de elevador, desce de escada”, disse.

Em nota, o Sindicombustíveis afirmou que o desafio enfrentado pelos revendedores é diário. “Basta analisar os dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e verificar que, enquanto apenas um agente econômico – Petrobras – é responsável pelo refino de mais de 95% dos combustíveis comercializados no país, a cadeia varejista da revenda tem mais de 45.000 postos, disputando diariamente o consumidor”, afirmou.

“Salientamos ainda que a Petrobras não produz, nem vende os combustíveis comercializados pelos postos revendedores. As distribuidoras são suas clientes diretas, quem compra os produtos refinados da Petrobras (gasolina A e diesel B, S10 ou S500) e formula os produtos gasolina C e biodiesel S10 e S500 e vende para os postos. Estranhamente, as distribuidoras não foram mencionadas na sua entrevista sobre a lentidão na queda dos preços”, pontuou.

“É a segunda vez que o Presidente da Petrobrás atribui, injustamente, a culpa dos aumentos dos combustíveis aos revendedores. Não podemos aceitar isso. Vale destacar que a escorchante carga tributária não sofre alterações quando a Petrobras faz seus ajustes de preços. Não podemos ser taxados de vilões. Enquanto o senhor Castelo Branco acusa os revendedores de combustíveis, os postos continuam prestando serviços à sociedade, mesmo com a pandemia do novo coronavírus”, continuou.

Fonte: https://bahia.ba/economia/sindicombustiveis-critica-presidente-da-petrobras-apos-fala-sobre-aumento-de-precos/


Verdades sobre o preço do diesel que você precisa saber

Você revendedor, o que acha da fala do Presidente da Petrobrás ?

Sua participação e comentários  são importantes para ajudar nesta discussão.  Afinal de contas, a culpa é mesmo dos revendedores ?

Deixe abaixo seu comentário para ajudar no debate ! A audiência do Portal Brasil Posto atinge cerca de 80% dos revendedores de combustíveis do país. Aproveite essa oportunidade para manifestar sua opinião !


 

+++ Chegou o Aplicativo de Checklists Inteligentes Brasil Postos

+++ Digitalize e Controle as Rotinas do Posto e da Conveniência – App Checklist Inteligentes Brasil Postos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here