Atenção às regras de abastecimento fora do tanque. A nova regra passará a valer, para fins de fiscalização, a partir de março de 2020.

O revendedor deve ficar atento às novas normas que estabelecem os parâmetros dos recipientes reutilizáveis e certificados pelo Inmetro para fornecer combustível ao consumidor, em caso de emergência.

As mudanças entram em vigor em março de 2020.

Após um hiato de aproximadamente seis anos, desde a Resolução ANP 41/2013, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade Tecnologia (Inmetro) publicou, em março deste ano, a Portaria nº 141/2019 que definiu as especificações técnicas de embalagens reutilizáveis para o abastecimento de combustíveis fora do tanque. A nova regra passará a valer, para fins de fiscalização, a partir de março de 2020.

Para relembrar – No final de 2013 a ANP publicou a Resolução 41, que além de regulamentar a atividade da revenda, estabeleceu as regras para a venda de combustíveis fora do tanque (Artigo 22. Inciso II1).

Na ocasião, a grande dificuldade do revendedor foi encontrar fornecedores certificados para esse tipo de comercialização. Segundo a ANP, os recipientes deveriam ser certificados, conforme prevê a norma NBR 15594-1:2008, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A certificação, no caso, deveria ser feita pelo Inmetro. Como até então não havia uma regra para a venda de combustíveis fora do tanque, restou à revenda encontrar os galões adequados ou deixar de fornecer combustível nessa modalidade.

Vale destacar que a venda fora do tanque deve ser feita somente em emergências, com pane seca (sem combustível) ou para abastecer equipamentos, tais como motosserras e pequenos geradores.

Assim, em fevereiro de 2014, quando a regra passou a ser cobrada, muitas revendas se depararam com a falta de recipientes certificados pelo Inmetro, poucos fabricantes e preço de vaso, já que o custo do vasilhame era um impeditivo a venda afinal, em alguns caso reservatório era mais caro do que o combustível a ser transportado. Na época, muitos clientes se aborreceram com a medida chegando a fazer ameaças e agressões verbais após a negativa de fornecimento, em vários postos brasileiros.

Ocorreu que a ANP publicou Resolução 57/2014, reforçando a necessidade de que os galões para transporte atendam as regras estabelecidas pela norma NBR IS594-1 da ABNT. Porém, para o cumprimento da normativa, seria necessária a publicação de um dispositivo legal por parte do Inmetro, e em seguida, a recepção desta norma pela agencia reguladora.

A publicação finalmente aconteceu em 28 de março de 2019 por meio da Portaria Inmetro “141/2019 que aprovou o Regulamento Técnico da Qualidade (RTQ) para embalagens reutilizáveis, utilizadas no mercado varejista de combustíveis automotivos.

Com isso, a ANP estabeleceu, por meio da Resolução 41/2013, um prazo de 365 dias, a partir da data de publicação da Portaria, para passar a fiscalizar a venda.

Ou seja, a partir de março de 2020, todos os postos que quiserem fornecer combustível nesta modalidade devem adultos novos vasilhames reutilizáveis e certificados pelo Inmetro.

Quais os cuidados ao abastecer os vasilhames ?

Vale destacar que a necessidade de embalagem específica é uma forma de proteger o consumidor, seja para garantir a quantidade abastecida  (uma vez que o volume do recipiente precisa ser certificado), seja pelo risco de contaminação, já que a venda em sacos plásticos, por e exemplo, pode levar ao contato direto com o produto. Além disso, também existe a preocupação ambiental, relacionada ao descarte do vasilhame.

A ideia do galão especifico é de que deseja utilizado somente com finalidade de transportar combustíveis.Recipientes, independentemente de seu volume total devem ser abastecidos até o limite máximo de 95% de sua capacidade para o risco de transbordamento. Além disso, ao abastecer, o bico da bomba e e o bocal do recipiente devem ficar em contato, para evitar os riscos da eletricidade estática.

Embalagens com volume inferior a 50 litros devem ser abastecidas fora do veículo, apoiadas no piso do posto. Já recipientes com volume superior podem ficar sobre a carroceria, desde que o aterramento esteja garantido. Independentemente do volume da embalagem, o frentista deve ser orientado para que o escoamento do combustível seja direcionado às paredes do vasilhame, de forma a evitar a geração de eletricidade estática.

 

Como devem ser os vasilhames para venda de combustíveis fora do tanque?

Para que o revendedor não corra risco de ser autuado pela fiscalização da ANP é fundamental que os vasilhames utilizados para a comercialização de combustíveis fora do tanque atendam aos requisitos estabelecidos pela Portaria 141 do Inmetro. Confira:

a. Os recipientes de combustíveis devem ser rígidos, metálicos ou não metálicos, certificados e fabricados para esta finalidade.

b. No caso de recipientes não metálicos, a capacidade máxima deve ser de 50 litros. Os vasilhames devem atender aos regulamentos municipais, estaduais ou federais aplicáveis. Acima desse volume, os recipientes devem ser metálicos,

c. os vasilhames devem conter um Selo de Identificação da conformidade no produto, concedido pelo Inmetro. Além disso, as embalagens reutilizáveis devem apresentar as seguintes marcações e identificações obrigatórias:

– símbolo de risco do transporte para inflamáveis e símbolo de manuseio “setas para cima”, conforme a ABNT NBR 7500;

– inclusão da palavra REUTILIZÁVEL, em relevo para embalagens plásticas e impressa de forma indelével, no caso de embalagens metálicas, na face oposta às marcações dos símbolos;

– inclusão da frase uso exclusivo para combustíveis automotivos também em relevo para embalagens plásticas e impressa de forma indelével nas metálicas, na face oposta as marcações dos símbolos;

– inscrição contendo a frase “PERIGO! Produto classificado como perigoso para a saúde humana”:

– instrução de uso da embalagem, contendo a informação de que após a utilização, deve ser armazenada vazia e tampada;

– indicação do nível máximo de enchimento (correspondente a 95% da capacidade máxima), em relevos embalagens plásticas devem conter, em relevo.

– a data de fabricação no formato mês/ano”

– o prazo ou data de validade, limitado ao máximo de cinco anos contados a partir da fabricação nas embalagens metálicas a validade deve ser determinada pelo fabricante.

*informações retiradas da Portaria 141/2019 do INMETRO. Clique aqui e leia a Portaria na Íntegra. 

Fonte Revista Combustíveis e Conveniência

COMPRE NA LOJA VIRTUAL – A loja virtual do Portal Brasil Postos comercializa galões e bombonas certificadas de acordo com todas as exigências do INMETRO E ANP.

Clique aqui e converse com nossas consultoras de vendas

 

+++ Procedimentos de Operação em Postos de Combustível (NBR15594-1)

+++ Resolução 41 da ANP traz novas regras à revenda

+++ Embalagens em discussão

+++ ANP – Alterações na Resolução ANP 41/13 promovidas pela Resolução ANP 57/14

7 COMENTÁRIOS

  1. TENHO UM TANQUE NA FAZENDA DE 500 LITROS.O QUE PRECISO FAZER PARA COMPRAR COMBUUSTIVEL PARA ABASTECIMENTO DOS TRATORES DA FAZENDA?
    O POSTO NÃO ME DEIXOU COMPRAR.
    PRECISO DE ALGUMA DOCUMENTAÇÃO DA ANP QUAL?

  2. Meu carro parou por falta de combustível em uma das ruas mais movimentadas aqui na cidade de itu , quando minha mulher foi até o posto de gasolina logo a frente e os frentistas se negaram a colocar 2 litros no galão legalizado e certificado pelo Inmetro …segundo eles estava recebendo ordem do gerente de não abastecer em galões … Logo um amigo meu passou por mim e pegou meu galão e abasteceu pra mim em outro posto de gasolina …. Posteriormente fui até o posto que havia negado o abastecimento e mostrei o galão e disse que naquele galão eu sempre abasteci e nunca tive problema , afinal foi em um próprio posto de combustível que comprei , porém fiquei lá por alguns minutos e não fui atendido mesmo assim …. Tamanho constrangimento …

    • Na cidade de Itu tem alguns postos que a quantidade abastecida não correspondem ao valor pago esse e o motivo que esses postos não põe combustível no galão para não serem desmascarados

  3. Muito chato passar por essa situação,fui ao posto na noite de ontem e o gerente se negou a abastecer meu galão, até onde sei e fui cobrado é pelo selo Inmetro, meu galão era de 20 lts sempre uso o mesmo porque tem o selo, fui em outro posto mais longe e fiz a compra normalmente, em outra parte da minha vida tinha voltado ao posto armado para ver se não ia ser atendido, as coisas forçam as pessoas a andarem errados, se for alguém que está na vida do crime é atendido com muito carinho tenho certeza, se o cidadão tenta andar direito muitas vezes é impedido….

  4. Eu preciso realizar o transporte de combustível da cidade até a fazenda, qual a quantidade permitida que eu posso transportar em minha pick-up?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here