Dos itens que compõem o endividamento empresarial hoje vamos falar aquele que considero o mais perigoso DÍVIDAS BANCÁRIAS. 

Os serviços de consultoria direcionada ao ENDIVIDAMENTO EMPRESARIAL principalmente aquela especializada na REVENDA DE COMBUSTÍVEL a cada dia aumenta a procura por empresários do setor buscando solução, e ou, pelo menos uma ajuda profissional para descobrir onde foi parar o seu capital de giro. 

A necessidade de uma reserva chamada “giro” é fundamental na operação do Posto Revendedor, eis que, não se pode administrar uma empresa no vulgo “vender almoço para comprar a janta”, algo para garantir a despesa fixa, reposição de estoque, enquanto ocorre o recebimento das vendas diárias. 

ONDE FOI PARAR O DINHEIRO DA VENDA DO MÊS ! 

Sabe-se que a gestão financeira requer constante acompanhamento de resultados, para que possa manter em dia a análise de desempenho. 

E também, não é difícil afirmar que essa modalidade de gestão ocorra apenas nas grandes redes da revenda, diga-se, minoria, situação diferente no posto revendedor administrado pela própria família. 

O agravante da gestão familiar é misturar dinheiro da empresa com pessoal, e ainda pior, quando o empresário acredita que todo dinheiro do caixa é resultado da venda, é lucro, que pode ser utilizado para fins particulares. 

Na rotina diária trabalhando com margem minúscula para fazer frente a todos os encargos para manter sua revenda, mesmo organizado é difícil manter um caixa em dia, comprar produtos à vista com melhor preço, pagar contas em dia, dentre outras responsabilidades. 

Vamos fazer a continha básica que parece simples, entretanto, parece que alguns empresários da revenda esqueceram como fazer, e ou, por medo do resultado evita de fazer. Essa conta poderá ser feita mensalmente em um relatório chamado DRE – Demonstrativo de Resultado no Exercício.

Segundo doutrinador Salazar e Benedicto (2004), o DRE mede o desempenho da empresa. Essa demonstração financeira analisa a administração da organização durante um período indicado pela mesma. E essa identificação se tem através dos ativos líquidos, que são as receitas, diminuídos de outros ativos de recursos, que são as despesas. 

Vejo o exemplo de um Posto Revendedor Bandeira Branca de Pequeno Porte em uma cidade pequena.

Prejuízo no mês 01 = 28.500,00 X 12= 342.000,00

Neste exemplo comprovado que esse empresário vem usando capital de terceiros, no mínimo limite de cheque especial , que no período de 12 meses deve ser em torno de 90.000,00 esse limite. 

Com a taxa média entre as maiores instituições financeiras = 8% a 12% a.m

Caro leitor se você fez essa conta agora e sua receita bruta é ( – ) menor que a soma de suas despesas fixas pare agora E BUSQUE AJUDA PROFISSIONAL. 

Neste cenário, o empresário começa a fazer depósitos diários na conta bancária e são devorados pelos lançamentos de juros e despesas na conta corrente que o saldo devedor é atualizado quase que diário, impossibilitando o seu pagamento. 

O próximo passo é o gerente da conta no banco oferecer um parcelamento daquele limite de cheque especial para liberar novo limite para uso, fazendo parecer uma solução para o problema. Na esperança de solução para seu problema, o empresário da revenda assina essa novação/ renegociação de dívida junto ao banco e consegue “ respirar” por 30 ( trinta) dias, sem saber que seus problemas apenas começaram. 

Sim. Nos meses seguintes o seu fluxo de caixa será impactado por mais uma, duas, três, parcelas para adimplemento( negociação ), que consequentemente não conseguirá pagar aumentando o endividamento da empresa.

Não precisa ser um expert em contabilidade para saber que o saldo devedor no limite de cheque especial na conta corrente é lançado juros mensal todo primeiro dia útil do mês, e esse valor de juros é incorporado no capital (saldo devedor), chegando um momento que o empresário não tem mais controle, do que é juro cobrado pelo banco , e o que é o capital utilizado no cheque especial . 

E mais, essa dívida que veio mensalmente incorporando juros compostos superior a 8% até 16% ao mês dependendo do banco chegando a um saldo monstruoso, na negociação esse saldo é novamente corrigido agora com juros remuneratórios para um parcelamento que será debitado mês a mês na conta corrente. 

O custo financeiro é um item de grande impacto no fluxo de caixa da empresa, que incorporado sem o devido controle na maioria das vezes é bem maior que a própria margem de lucro da empresa. Esquece o empresário que sua conta corrente continua com saldo devedor, utilizando-se do limite do cheque especial, e que essa parcela será debitada na conta corrente e sem saldo, essa continua cobrando mais juros, até conseguir o primeiro depósito para que possa ocorrer a sua quitação. 

Essa situação continua a ocorrer por meses seguintes até o momento que o banco vai fazer a supressão do limite do cheque especial, corrigindo aquele saldo com os juros que entender devido, e ajuizar uma ação monitória em face do Posto Revendedor, os sócios do contrato social, e se tiver avalistas também, e pior ainda, se tiver garantia concedida ao banco. 

O agravante está se o empresário assinou contrato de renegociação das dívidas, limite de cheque especial, simulado como CDC: Crédito Direto ao Consumidor junto ao banco com cláusula que no atraso de uma parcela vencerá automaticamente as parcelas vincendas . E se por qualquer motivo não conseguiu pagar as parcelas, quando o banco ajuizará uma Execução de Título Extrajudicial em face do posto e seus sócios, que é procedimento judicial bem mais célere que vai direto a expropriação de bens em nome do devedor. 

O uso de recursos financeiros de terceiros é uma linha tênue entre o sucesso e a quebra da empresa quando não é devidamente administrada.

Na necessidade de manter suas contas em dia, produtos no tanque, o empresário passa a fazer uso do limite do cheque especial junto às instituições financeiras pagando juros em % maior que sua margem líquida no final de sua contabilidade. 

Infelizmente quando procura uma consultoria ESPECIALISTA EM ENDIVIDAMENTO BANCÁRIO (assessoria jurídica e organizacional no Setor da Revenda) o empresário já está trabalhando praticamente com 100% recursos dos bancos, e mais, quando a utilização desse recurso ficou impagável. 

O ato seguinte é o fundo do poço da REVENDA DE COMBUSTÍVEL, quando já não consegue comprar produtos (queimando o fundo de comércio do posto por falta de produtos), atraso na folha de pagamento, inadimplência de aluguel, dentre outros, essa situação é praticamente irreversível. 

Os bancos literalmente vão dando a corda para o fundo do poço, ou seja, oferecendo dinheiro ao empresário que conhecendo sua dificuldade naquele momento não discute o preço desse dinheiro.

Quanto maior é a dificuldade financeira do empresário maior é o apetite dos bancos em lhe oferecer dinheiro, limite, produtos e serviços, principalmente se a referida conta bancária possuir garantia. 

O empresário começa a fazer depósitos diários na conta e são devorados pelos lançamentos de juros e despesas na conta corrente uma vez que o saldo devedor é atualizado quase que diariamente, impossibilitando o seu pagamento. 

Com a perda do Ponto de Equilíbrio esquece o empresário que sua conta corrente continua com saldo devedor, utilizando-se do limite do cheque especial, e que essa parcela será debitada na conta corrente e sem saldo, essa continua cobrando mais juros, até conseguir o primeiro depósito para que possa ocorrer a sua quitação. 

Dessa forma, para que essa situação não venha ocorrer na sua revenda, a primeira coisa após essa leitura é conferir a sua DRE do mês, isso é aquela conta básica onde a soma de sua receita bruta tem ser MAIOR que a soma de suas despesas fixas todos os meses. 

E se já começou a usar o limite de cheque especial, e está sem previsão para saldo credor na sua conta bancária, e pior, já realizou a primeira renegociação ( parcelamento limite cheque especial) procure um profissional especialista em ENDIVIDAMENTO BANCÁRIO com Assessoria Jurídica e Organizacional no Setor da Revenda, para fazer uma análise da atual situação da empresa, receitas, despesas, custo da compra, margem de vendas, se é bandeira, e principalmente da sua conta corrente junto aos bancos, e tomar as medidas administrativas e judiciais cabíveis. 

Revendedor, se você está com problemas em renegociar suas dívidas bancárias, entre em contato conosco que podemos ajudá-lo.

Este texto foi desenvolvido pela nova colunista do Portal Brasil Postos – ELIEUZA ESTRELA , contadora e advogada, é especialista em assessoria Jurídica , Ambiental e Consultoria Organizacional no setor da Revenda, possui uma empresa especializada em atender os problemas específicos do setor de distribuição e revenda de combustível. Assessoria Jurídica para Postos de Combustíveis. 

Realiza os serviços de Ação Rescisão/Revisão Contrato Bandeira , Ação Renovatória , Ação de Despejo, Ação Restituição Tributos, Ação Declaratória Inexistência Débito ( ANP /IBAMA, outros ) apresentação defesa ( ANP, PROCON, INMETRO, DER, ANTT, IBAMA, , outros). 

Possui forte atuação endividamento bancário ( ação Revisional conta e demais contratos e defesa nos casos execução) análise contratos bandeira, elaboração contratos compra e venda de fundo comércio. Assessoria e Consultoria Ambiental – Especializada na elaboração de Parecer Técnico, Projetos, Planos Gerenciais e Procedimentos Ambientais, Regularização Ambiental em qualquer ramo de atividade, com especialização na construção e adequação empreendimentos no setor de Distribuição e Revenda de Combustíveis (Posto de Gasolina), Ponto de Abastecimento (instalação de tanques em empresas e propriedades rurais.

Artigo anteriorCurso Online – Frentista de Alta Performance
Próximo artigoDelivery deixará combustíveis mais caros?
Elieuza Estrela
Assessoria Jurídica para Postos de Combustíveis . Realiza os serviços de Ação Rescisão/Revisão Contrato Bandeira , Ação Renovatória , Ação de Despejo, Ação Restituição Tributos, Ação Declaratória Inexistência Débito ( ANP /IBAMA, outros ) apresentação defesa ( ANP, PROCON, INMETRO, DER, ANTT, IBAMA, , outros). Possui forte atuação endividamento bancário ( ação Revisional conta e demais contratos e defesa nos casos execução) análise contratos bandeira, elaboração contratos compra e venda de fundo comércio. Assessoria e Consultoria Ambiental na elaboração de Parecer Técnico, Projetos, Planos Gerenciais e Procedimentos Ambientais, Regularização Ambiental em qualquer ramo de atividade, com especialização na construção e adequação empreendimentos no setor de Distribuição e Revenda de Combustíveis (Posto de Gasolina), Ponto de Abastecimento (instalação de tanques em empresas e propriedades rurais). e-mail: [email protected] Telefone: (44) 3222-2371 – (44) 44 98806 2798

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here