Você sabia que 80% das decisões de compra são feitas já no ponto de venda da Loja de Conveniência?

Então, por que usar a gôndola somente para expor os seus produtos de qualquer jeito, se ela pode informar, trazer soluções, facilitar a decisão de compra, auxiliar a gestão de estoque e gerar muito mais lucro para sua empresa?

1- Exposição de Produtos – Em uma Loja de Conveniência a posição de cada item nas gôndolas e um ambiente planejado auxilia o consumidor a encontrar o produto com muito mais facilidade e estimula a comprar mais.

Os produtos não devem ser expostos de modo aleatório. Estudos comprovam que as mercadorias bem organizadas e de forma correta, traz muitos benefícios ao estabelecimento e ao cliente.

2- Perfil dos Clientes – O consumidor de hoje em dia é cada vez mais consciente sobre os processos de consumo, por ser criado no universo da televisão e pela publicidade.

Por isso, as atitudes do cliente são cada vez mais pensadas, desconfiadas e reflexivas, o que resulta na infidelidade, por ser sempre abertos a mudanças, a descobrir e experimentar novidades.

Para conquistar o cliente atual a empresa deve estar focada em conhecer o perfil do consumidor e distinguir o seu valor percebido. Ofertas atraem, mas não é só o valor do produto que importa, bem como o atendimento, ausência de serviço, de produtos, de marcas, layout diferente, entre outros.

Para conquistar o consumidor é necessário que a loja seja bem vista e se sintam atraídos, então deve-se pensar no mínimo em:
– limpeza, conforto e organização;
– ambiente com temperatura, ventilação e música agradável;
– funcionário com boa aparência, atendimento impecável e respeito.

3- Fatores Importantes na Organização – A Loja de Conveniência deve seguir esses fatores importantes para a organização adequada da loja:

Limpeza: Os clientes são atraídos por ambientes limpos e organizados, todas as áreas como geladeiras, vitrines, piso, gôndolas e paredes devem estar impecáveis.

Arrumação da loja e exposição: Procure deixar todas as gôndolas organizadas com produtos bem expostos. Faça pilhas e utilize de cartazes para sinalização das marcas, promoções, etc. Isso estimulará a venda por impulso, ou conveniência, pois irá favorecer a visualização do produto. É ideal que o cliente não demore muito tempo para encontrar o produto que procura, os produtos devem estar expostos de maneira que façam sentido, se completam lado a lado.

Preço: Todos os produtos devem estar precificados. A precificação correta é essencial para o posicionamento e competitividade do empreendimento. As margens de lucro e as metas de giro de produtos devem ser bem definidos. O ideal é, a partir da pesquisa realizada com os concorrentes, descobrir qual é o mark up certo para otimizar a lucratividade da sua loja e continuar com um preço aceitável pelo consumidor.

Equipe: A equipe deve ser treinada e capacitada periodicamente, a fim de dispor do melhor atendimento ao cliente, com educação e conhecimento de todos os produtos da loja de conveniência. Além disso, os colaboradores devem estar apresentáveis, com um uniforme impecável.

Novidades e diferenciais: Invista em promoções, produtos diferentes, variedade de marcas, crie estratégias de negócios, como por exemplo: promoções relâmpago, leve 3 pague 2, sorteios, decoração, vantagens para clientes finalizados, entre outros.

Qualidade: Busque proporcionar ao seu cliente todos os produtos e serviços com qualidade, assim, ele se tornará um cliente fiel.

4- Produtos, Setorização e sua Lucratividade – Como foi dito anteriormente, é de suma importância o estudo dos produtos a serem vendidos na loja de conveniência, definir qual a sua importância, seu preço, sua procura, ou seja, se é de conveniência, de rotina, sazonal, ocasional ou de destino.

A partir desse estudo é possível determinar a estratégia de sortimento e exposição de produtos que será adotada pela empresa e permitirá a análise dos indicadores comerciais, como as vendas, volume, preço, reposição, etc.

Assim, o empreendedor garante a quantidade suficiente de produtos para que não tenha perdas, seja de venda por falta de produto ou de perda por exceder a validade, o controle é muito maior.

A setorização da loja facilita em todos os pontos, o consumidor se sente mais confortável e consegue encontrar os produtos com maior facilidade, auxilia na gestão da loja como um todo e no gerenciamento por categorias, diminuindo a possibilidade de prejuízos.

Quanto menor o tempo gasto pelo consumidor para encontrar seus produtos, mais tempo terá para comprar mais e olhar a loja com calma, assim, a lucratividade aumente.

Os produtos de maior giro devem ficar localizados no fundo da loja, assim, o consumidor vai ter que passar por todas as gondolas e vai ver todos os outros produtos que a loja também oferece.

As ações promocionais devem estar separados dos outros produtos, em ponta de gôndolas ou em ilhas, que são locais que chamam a atenção do consumidor e despertar o interesse de novos clientes.

Os pontos que mais chamam atenção nas gôndolas podem ser negociados com os fornecedores e fabricantes para garantir a exposição dos produtos, pela sua alta visibilidade.

5- Planejamento do Ponto de Venda – Deve ser feito um planejamento para ter eficiência no ponto de venda, o planograma foi feito para isso.

O plano de gôndolas, ou planograma, é feito para ensinar estrategicamente como a gôndola deve ser organizada de uma maneira inteligente e eficiente, para todos os tipos e portes de empreendimentos.

Por isso, antes de tudo, estude todas as categorias que estão presentes no estabelecimento, calcule a lucratividade de cada um, estrutura, preço, vendas e giro de estoque.

É de suma importância saber quais os produtos de mais procura, entender a real necessidade dos clientes, verificar o preço dos concorrentes e estudar o seu cliente.

6- Planograma: O manual para a Exposição Perfeita dos Produtos – A técnica de merchandising e vendas para dar certo depende de um planograma, ou plano de gôndola, que tem como objetivo estimular as vendas e evidenciar as marcas dos produtos vendidos.

Esse objetivo é alcançado a partir de como os consumidores veem os produtos e se comportam a partir da disposição estratégica da Loja de Conveniência.

6.1- O que é um Planograma? Planograma nada mais é do que definir como serão os layouts dos expositores e organizadores com o intuito de influenciar os consumidores da Loja de Conveniência.

Além do posicionamento adequado dos produtos, esse planejamento determina o local adequado para cada categoria, bem como seu sortimento, ações de marketing a serem realizadas, marcas concorrentes e a orientação para a reposição dos produtos.

O projeto deve ser documentado para ser gerenciado e para que possibilite a observação de todas as áreas. Assim, fica muito mais fácil de realizar mudanças necessárias no planejamento do layout.

Observações – Observações importantes para não cometer erros na organização dos produtos nas gôndolas:

Privilegie os produtos de baixo giro com maior margem de lucro;
Não misture os segmentos distintos;
Atualize o planograma periodicamente;
Meça os resultados, faça observações e aplique melhorias todas as vezes que refizer o planograma;
Escute o seu cliente, as sugestões, reclamações, observe o seu comportamento de compra;
Sinalize as gôndolas para que o consumidor não tenha dificuldade para encontrar os produtos desejados.

 

Se você se interessa por este tema de Loja de Conveniência continue seguindo nosso Blog, agora se você deseja aprofundar seu conhecimento conheça nosso Curso Online de Loja de Conveniência. Clique aqui e saiba mais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here