Venda direta de etanol aos postos tem consenso no governo, diz ministra. 

Tereza Cristina defendeu uma política de estado para o biocombustível. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou que estão avançados os estudos sobre a liberação de venda direta de etanol das usinas os postos de combustível e que o governo deve definir a questão em breve. E sinalizou que há um consenso no governo de permitir em breve esse tipo de comercialização. Ela concedeu uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira (17/6).

“Será aberto em breve. Já existe um consenso de se fazer a distribuição direta da usina para os postos e isso está andando rapidamente”.

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) está estudando. Deve ter um resultado positivo em breve para simplificar e ter menos custo para distribuição, disse ela, na entrevista, que teve a participação do diretor de Redação da Globo Rural, Bruno Blecher.

Tereza Cristina defendeu que o etanol deve ter uma política de longo prazo no Brasil, que seja entendida como uma ação de estado, não de governo. E acrescentou que o programa nacional para o biocombustível está sendo aperfeiçoado.

“O Brasil tem um programa com o etanol. Acho que as coisas estão se aperfeiçoando. E com os Estados Unidos produzindo esse tanto de etanol de milho, pode ser que a gente consiga fazer o etanol uma grande commodity. Quando o Brasil ficou isolado, eu acho que foi um dos pontos pelo qual o etanol não caminhou”, afirmou.

Confira o posicionamento do presidente da UNICA

Evandro Gussi, presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), posiciona-se sobre a proposta de venda direta de etanol.

Defendida principalmente por lideranças do setor sucroenergético do Nordeste do País, a proposta, que permite a comercialização sem a presença de distribuidores, tramita no Congresso Nacional.

Diretor da ANP sugere ICMS único para o etanol

Décio Oddone, diretor da ANP, afirma trabalhar em conjunto com outros agentes do governo para cumprir os prazos do RenovaBio.

Entre 01 de janeiro de 2012 a até agora os preços da gasolina e do óleo diesel estão desconectados dos preços do mercado internacional. Na média estão acima.

ICMS único – Sonegação é o principal problema de impostos na área de distribuição. Por que não um ICMS único? Isso reduziria o problema da sonegação.

A proposta foi sugerida pelo diretor da ANP.

“Temos oportunidade única de discutir isso com a proposta de venda direta” disse Odone”.

Secretário de Petróleo, Gás e Biocombustíveis disse que ainda se trata de um possibilidade e que não deve ocorrer neste ano

Venda direta de etanol das usinas para os postos de combustível deve ser discutida em até 180 dias pela equipe do Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse, nesta terça-feira (18/6), em entrevista a Globo Rural, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Márcio Felix Carvalho Bezerra.

Na segunda-feira, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, em São Paulo (SP), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, indicou que já existe um consenso dentro do governo no sentido de liberar a venda direta. Segundo ela, deve haver um resultado positivo “em breve”.

Márcio Bezerra explicou que, depois desses 180 dias de avaliação, caso seja aceita, a proposta deve se tornar um projeto de lei a ser encaminhado para votação no Congresso.

“É algo que não deverá acontecer este ano”, disse. “Por enquanto, trata-se apenas de uma possibilidade”, ressaltou.

O secretário também disse ser importante haver uma discussão sobre a regionalização da quantidade de etanol misturada à gasolina, com porcentagens diferentes para cada Estado. “Há questões de logística e produção no Brasil, com disparidades regionais, que tornam esse debate relevante”, afirmou.

“Seria preciso, no entanto, conversas com os Estados e um debate sobre temas tributários, que não são prioritários neste momento”.

Fonte: Globo Rural

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here