Clima organizacional parece um daqueles jargões da administração que só se aplicam para grandes empresas, mas não é bem assim.

Se partirmos de sua definição veremos que sua importância é grande para empresas de todos os portes:

Clima Organizacional segundo Idalberto Chiavenato*: “É a percepção coletiva que as pessoas tem da empresa e dos próprios colegas e a consequente reação à esta percepção.”

A palavra chave na definição é “PERCEPÇÃO”. Sim, pois o mundo, para você, é aquilo que você percebe. Meio filosófico? Nem tanto.

Pense que você pode entrar num bar com seu ou sua parceiro(a) e considerar aquele lugar muito ruim por estar cheio e soar tumultuado enquanto ele(ela) considera o lugar ótimo cheio de vida e vibrante. O número de pessoas é o mesmo, mas a PERCEPÇÃO muda muito de pessoa para pessoa.

Trazendo esse conceito para o cotidiano do seu posto, importa pouco o quanto você considera seu local de trabalho maravilhoso. Sua equipe tem que considera-lo tão bom quanto você, caso contrário os sinais da desmotivação e desengajamento começarão a pipocar aqui e ali.

Se você pensou que basta um puxão de orelha, uma sanção disciplinar um uma demissão
exemplar para “pôr tudo nos eixos”, pense mais um pouco.

Mesmo com a crise de desemprego criada pela pandemia as pessoas não estão tão dispostas assim a trabalhar num lugar estressante e com clima de tensão ou desleixo constante.

Além do que, o custo para substituir um(a) colaborador(a) gira entre 0,5 e 1,5 vez seu salário. Acrescente também os custos em tempo e dinheiro de uma nova contratação, a necessidade de “Moldar” o(a) novo(a) colaborador(a) à cultura da empresa, mais a possível insegurança do(a)s outro(a)s membros da equipe. Ah, tem os riscos trabalhistas também!

Ok, você pode não chegar ao ponto da demissão de alguém, mas lembre que um clima
organizacional ruim pode levar ao absenteísmo. O absenteísmo consiste no ato de se abster de alguma atividade ou função.

O absenteísmo gera uma série de más consequências em cascata:

1- Tempo para prover a substituição do(a) colaborador(a) ausente;
2- Intervenção e acompanhamento por parte do(a) gerente, desviando seu foco principal;
3- Possível aumento das horas extras;
4- Clima de não compromisso;
5- Queda na qualidade do atendimento do posto.

Manter um clima organizacional não é nenhum bicho de sete cabeças., vamos lá:

Você tem cumprimentado seu time quando chega ao trabalho?

Sim, parece algo banal mas muito(a)s líderes costumam chegar no posto e ir direto para o
escritório cuidar da “papelada”. Como uma equipe que não recebe nem um bom dia se sente?

Você dispõe de tempo para conversar com seu time quando precisam de você?
Se você é muito ocupado(a) para investir tempo em conversar com seu time, reveja sua agenda.

É seu time e não VOCÊ que tocam a operação. O time executa as tarefas, vende e encanta seu cliente. Eles são sua prioridade, não aquela planilha em Excell.

Você se preocupa com o relacionamento que seu time tem entre si? Talvez você pense que esta não é uma questão que compete a você e que todo(a)s são adulto(a)s o suficiente para saber se relacionar, porém lembre-se que estamos falando de um time operacional onde muitas pessoas podem estar em suas primeiras experiências de trabalho, portanto sem a vivência ou a maturidade profissional necessária para manter uma relação equilibrada no trabalho.

Por fim, você fornece uniformes em quantidade e qualidade suficiente para seu time? Uniformes?? Exatamente! Seu time é o seu cartão de visitas e a qualidade de suas vestes pode influenciar demais na autoestima de todo(a)s. Invista em uniformes bonitos, funcionais e confortáveis e, claro, cobre do time o cuidado necessário com a preservação e limpeza dos mesmos.

Simples? Sim, mas as providências não se esgotam aí. Segundo o GPTW (Great Place to Work), em uma empresa considerada ótima para se trabalhar um(a) colaborador(a) deve sentir respeito e perceber credibilidade em seu(sua) líder; sentir orgulho do que faz e ter sentimento de camaradagem em relação ao restante da equipe.

Simbora líder, trabalhar pelo bem do clima da empresa!

*Idalberto Chiavenato é autor do livro referência na área RH, “Gestão de Pessoas”.

+++ LEIA TAMBÉM : O que a Academia Brasil Postos pode fazer por você e sua equipe. Descubra!


Claudio Moreira é o novo colunista do Blog da Academia Brasil Postos e vai escrever sobre gestão de pessoas e liderança.

Atua há mais de 20 anos tornando os profissionais que tenham contato direto com seu cliente capazes de aumentar a possibilidade de recompra, fidelização e conquista de novos negócios.

Claudio também atua como mentor, professor, instrutor e palestrante em temas relacionados ao varejo com forte atuação no mercado de proximidade, lojas de conveniência e revenda de combustíveis. Atualmente tem participado como instrutor de vários eventos online da Academia Brasil Postos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here