O presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, demonstrou apoio à atual política de preços de combustíveis da companhia.

Deu a declaração em seus perfis nas redes sociais. Ele compartilhou um vídeo institucional da empresa que defende a manutenção do PPI (Preço de Paridade de Importação), principal fator para a escalada de preços do diesel e da gasolina.

José Mauro Coelho se manifestou pela 1ª vez nas redes sociais a favor da manutenção do PPI (Preço de Paridade de Importação).

O compartilhamento do vídeo, feito no LinkedIn, foi a 1ª manifestação pública de José Mauro em apoio ao PPI, desde a sua posse, em 14 de abril.

👉 Assista ao vídeo (1min40s) 👇

Fonte: https://www.poder360.com.br/ – Publicado por Sindigás em 

Petrobras explica sobre preço da gasolina

Petrobras divulgou nota dando detalhes sobre o preço da gasolina no Brasil. A explicação veio depois que alguns veículos de comunicação informaram que o combustível vendido aos brasileiros é um dos mais caros do mundo.

Segundo a estatal, o valor praticado por aqui está mais baixo do que preço cobrado em mais de 50 países.

Veja, abaixo, a nota da Petrobras:

Em relação às reportagens publicadas recentemente comparando preços da gasolina vendida ao consumidor final no Brasil e em outros países, a Petrobras esclarece que o preço da gasolina vendida no mercado brasileiro é o preço de mercado, de equilíbrio econômico e que assegura que a oferta seja suficiente para atender a demanda nacional.

De acordo com o ranking da GlobalPetrolPrices.com, o preço médio da gasolina ao consumidor final no Brasil está mais baixo do que preço praticado em mais de 50 países.

Importante destacar que os valores praticados pela Petrobras são diferentes dos percebidos pelo consumidor final no varejo.

No caso da gasolina, até chegar ao consumidor são acrescidos tributos; custos para aquisição e mistura obrigatória de etanol anidro; além dos custos e margens das companhias distribuidoras e dos revendedores.

Do preço médio de R$ 7,22 por litro pagos em média pelo consumidor, segundo levantamento semanal de preços da ANP para a semana de 10 a 16/04/2022, a Petrobras recebe R$ 2,81.

Esse valor de mercado, além de permitir que ocorram importações para atender a demanda local, serve para remunerar todo o investimento realizado pela Petrobras para exploração, produção de petróleo, refino do Petróleo, e transporte de petróleo e derivados.

Vale reforçar que os preços praticados pela Petrobras na venda de combustíveis às companhias distribuidoras buscam ao mesmo tempo (i) manter o equilíbrio estrutural com os preços praticados no mercado global de combustíveis e (ii) evitar repassar a volatilidade de preços internacionais e da taxa de câmbio, marcada por eventos conjunturais.

Essa prática responsável é fundamental para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here