Talvez você nem saiba o que “foram” os códigos de barras, e sua importância na automação do varejo de uma forma geral, mas, com absoluta certeza, depois de 2020, você saberá bem o que são os QR Codes.

Num olhar técnico, códigos de barras ou QR codes, são representações gráficas similares, que permite que através de uma leitura ótica, seja decodificado um “código”. No caso do Código de Barras, em geral são números (ou pouquíssimas letras), e no caso do QR Code como conhecemos hoje, conseguimos traduzir centenas de caracteres alfanuméricos, sejam letras, números, caracteres especiais.

Em geral, usamos no mercado de varejo e food, um QR Code “traduzindo” uma URL (endereço na internet).

Mas não viemos aqui para falar de tecniquês, e sim para falar de negócios!

Hoje, os QR Codes estão tendo duas funções bem destacadas dentro do Food Service, a primeira na parte de operação e a segunda, quando falamos de pagamentos.

Quando falamos de operação, temos o uso dos QR Codes vinculado aos pedidos, no direcionamento do cardápio, para que os consumidores possam visualizar seus produtos, a partir de um smartphone.

Estima-se que o Brasil tenha mais de 145 milhões de celulares do tipo smartphones em uso em 2021

boom dos QR Codes para cardápios, obviamente, teve uma boa alavancada com a pandemia, mas já vinha sendo trabalhado, uma vez que o custo de impressão e atualização de produtos em cardápios impressos é bem elevado. Com a tecnologia, trocar um produto, um preço, ou mesmo incluir um vídeo para explicar mais detalhadamente o prato para o consumidor é infinitamente mais simples.

Subindo um degrau, além de mostrar o cardápio a partir da leitura do QR Code na mesa, permitir ao consumidor fazer seu pedido ali mesmo, pelo seu smartphone, é um diferencial, liberando ainda mais sua equipe de garçons.

Com uma integração entre seu sistema de pedidos mobile — ou smartorders — e seu sistema de PDV, você pode permitir em seu Restaurante ou Loja de Conveniência que os próprios consumidores executem os pedidos com toda a segurança devida — seja reduzindo o contato com cardápios físicos pela higiene que o momento exige, seja garantindo e facilitando a jornada de pedido do cliente dentro do restaurante.

Podemos ainda extrapolar o uso dos smartorders, para que o cliente possa executar seu pedido delivery (ou de retirada), a partir de outro local — esta funcionalidade tem sido muito procurada pelos Restaurantes para fugir dos marketplaces e apps que costumam cobrar altas taxas de participação. Com seu próprio link, e cardápio online, da mesma forma que o consumidor pede seus pratos e sanduíches no salão do estabelecimento, ele pode executar o pedido remotamente, e se tudo bem integrado ao sistema de PDV e KDS, sua operação fluirá muito produtiva.

Como falamos lá no começo, os QR Codes hoje em dia, são responsáveis por dois grandes pontos nos Restaurantes e Conveniências, o segundo deles, é a questão do pagamento. Através do QR Code podemos ativar os chamados pagamentos digitais, sejam eles através das wallets — carteiras digitais, ou mesmo do PIX, que vem ganhando relevância no mercado brasileiro.

As carteiras digitais — internacionais como Apple Pay, GPay, PayPal, e as nacionais Mercado Pago, AME, PagSeguro, PicPay, e dezenas de outras, vem a cada dia mais invadindo nossas telas dos smartphones e brigando pelo seu “rico dinheirinho”. Em geral, as wallets servem para fazer pagamentos através ou de bancos digitais, ou buscando algum tipo de fidelização do cliente — e claro, movimentando o dinheiro através deles.

Muitas Carteiras Digitais oferecem como benefício, o chamado cashbackou seja, devolvem uma parte do pagamento em “dinheiro”, virtual, mas dinheiro, para que você possa usar no ecossistema daquela carteira digital.

Para os Restaurantes e Lojas de Conveniência em geral, aceitar as Carteiras Digitais, pode ser um benefício para “fugir” também de taxas altas dos cartões de crédito e débito. E, como para o consumidor, muitas das wallets trazem benefícios de fidelidade, aceitá-las pode ser um diferencial para captar um cliente indeciso, por exemplo, numa praça de alimentação de shopping, onde seu vizinho não tenha esta forma de pagamento.

Sabemos que o futuro é agora, e que precisamos estar alinhados com as tecnologias que estão sendo implementadas.

Não podemos deixar nossos estabelecimentos no passado. Mesmo que ainda seja incipiente cada uma destas inovações frente ao legado, precisamos investir um pouco de tempo e atenção para no futuro estarmos adequados.

E cada dia mais, o futuro chega mais rápido do que chegava, e portanto, olhos abertos na sua transformação digital.

 

Escrito por Marcio Blak – Especialista no mercado de Tecnologia com forte viés na Transformação Digital do Food Service, Varejo & Franquias. Mais informações sobre o autor: https://linktr.ee/foodfranquias

 

Conheça o Canal do Youtube do Autor



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here