As Cipa’s são formadas por frentistas eleitos pelos colegas no período de dois em dois anos

Formado por um grupo de funcionários da mesma empresa, e tendo o objetivo de prezar, principalmente, pelas condições de trabalho dos demais colegas de ocupação, as Comissões Internas de Prevenção a Acidentes (Cipa) estão presentes em praticamente todos os postos de combustíveis do país, porém, sua eficiência ainda depende de uma boa formação de quem compõe as comissões.

Banners - cartilha epis

Prevista na Consolidação das Leis do Trabalho e na Norma Regulamentadora n° 5, as Cipa’s são formadas por frentistas eleitos pelos colegas no período de dois em dois anos, e que tem a responsabilidade de observar as condições do ambiente de trabalhado compartilhado com os outros funcionários, estando atento não apenas aos riscos, mas orientando a gerência do posto sobre possíveis irregularidades, a fim de tornar o local seguro tanto para trabalhadores quanto clientes.

Mas, para que exerçam sua tarefa na comissão, os frentistas eleitos precisam de um curso de formação a ser pago pela própria empresa que gere o posto, e, por consequência, sua atuação nas comissões serão reflexo da mesma formação. No entanto, nem toda empresa está disposta a dar esta formação tão qualificada, o que pode levar ao comprometimento das condições de trabalho nos estabelecimentos.

De acordo com o secretário de saúde do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis do Estado da Bahia (Sinposba), Antônio Lago, a formação ineficiente já rendeu ações judiciais e mesmo denúncias ao Ministério Público do Trabalho contra alguns postos do estado com descumprimento da quantidade de horas de curso e conteúdo superficial.

“Para a empresa, não é interessante que o funcionário questione muito estrutura do posto onde trabalha já que melhorar essa estrutura também demanda mais gasto”, explica Lago.

Entre as irregularidades mais comuns, encontradas nos postos, está a falta de sinalizadores na entrada dos postos pedindo a redução da velocidade ao motorista, além das câmeras de segurança, que são fundamentais em caso de assaltos e outras ocorrências violentas.

Buscando conscientizar os frentistas para a prevenção de acidentes no ambiente, o Sinposba tem realizados açõe de conscientização, através do Fórum Estadual de Prevenção ao Meio Ambiente de Trabalho Itinerante, no qual uma equipe do sindicato vai aos estabelecimentos para pedir a atenção dos profissionais quanto aos mínimos cuidados que devem tomar ao fazer suas atividades.

Nossa equipe chegou a visitar diversos postos da capital para ouvir um pouco sobre as condições de trabalho de frentistas, contudo, acanhados, os funcionários preferiram não se manifestar sobre o assunto.

A Tribuna tentou entrar em contato com o presidente do Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniência do Estado da Bahia (Sindicombustíveis), José Augusto Costa, mas, até o fechamento desta edição, não foi possível contatá-lo.

Comissões têm grande importância para segurança 

Em caso de algum acidente de trabalho, as ações das Cipa’s são fundamentais, como conta a coordenadora de Sistema de Gerenciamento Integrado do Posto-Escola BR, Viviane Silva.

Ele relembra que, em 2014, houve um acidente envolvendo um carro e um funcionário durante uma troca de óleo, no qual o veículo foi ligado engatado, e avançou contra o empregado, que ficou prensado contra o armário.

“Felizmente ele foi salvo, se recuperou, e não teve sequelas, mas isso acabou sendo o início de uma série de mudanças nos procedimentos de segurança do posto, a exemplo de ficar à frente do automóvel enquanto este estiver ligado ou deixar que os frentistas manejem o carro dos clientes. Essas orientações acabam sendo passada também para outros postos da rede, que as adotam a fim de evitar novas ocorrências. Lembro que nessa época tivemos reuniões constantes”, detalhou a coordenadora.

Segundo ela, a comissão, no Posto Escola é formada por seis frentistas que trabalham no turno vespertino. A coordenadora explica que, cabem aos membros observaram tudo o que é relativo a estrutura do posto, pensando sempre no aspecto da segurança.

Outras responsabilidades incluem receber os caminhões-tanques para transferir o combustível do veículo para as dependências do posto, e orientar os demais colegas quanto ao uso de equipamentos de proteção individual.

 Uma reunião é agendada pelo menos uma vez por mês para que a Cipa apresente observações, queixas e sugestões para melhorar o serviço e as condições de trabalho no estabelecimento. Segundo Viviane, as datas costumam ser definidas já no início da gestão, tendo poucas alterações.

facebo

Fonte: https://www.tribunadabahia.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here