Sem sombra de dúvidas, a pandemia foi o grande desafio de 2020, para qualquer empresa, em qualquer segmento.

No setor de combustíveis, os impactos da Covid-19 contaram com um agravante: o dinamismo da área, que já possui suas oscilações e especificidades.

No entanto, com toda responsabilidade que o momento pedia, a distribuidora baiana de petróleo Larco nunca deixou de manter os planos e metas traçados para este ano.

Para isso, a empresa precisou se reinventar e se reestruturar. “Somos um serviço que não poderia parar, por ser essencial. Muitas vezes estava sustentando ali não só operações em hospitais de campanha, como supermercados, com diesel para geradores, ou o próprio agronegócio, que certamente apoiou bastante o Brasil nesse momento de dificuldade econômica”, afirma o diretor executivo Alberto Costa Neto.

Seguindo todo o planejamento e orçamento do ano, a Larco inaugurou duas bases próprias, uma em Luís Eduardo Magalhães, em março, e outra em agosto, na cidade de Jequié.

De acordo com o diretor executivo, todas as unidades nas quais ampliaram as operações em 2020 foram bem monitoradas com relação ao potencial do mercado. “Vejo esse crescimento como fundamental”, diz. O comprometimento pode ser evidenciado não só nos investimentos em bases, mas também com a compra de novos veículos super bitrens e cavalos, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 30 milhões.

Apesar de toda instabilidade econômica neste ano difícil, principalmente no primeiro semestre, onde não se sabia ainda o que esperar nem quais seriam os movimentos de mercado, a Larco se superou mais uma vez e obteve um crescimento sustentado em torno de 30% do seu faturamento.

Não é à toa que a Larco continua entre as dez maiores distribuidoras de combustível do país e foi eleita a maior empresa genuinamente baiana do estado da Bahia em um dos rankings mais importantes do Brasil.

A agilidade da distribuidora em reestruturar as atividades, sejam elas presenciais ou de home office, foi a grande responsável pelo recorde de bons resultados no fim de 2020.

“Também acredito que o que nos ajudou muito a superar os desafios foi nos antever a movimentos de mercados”, conta Costa Neto. A Larco conversou com fornecedores, renegociou contratos, conseguiu adequar as suas compras à demanda existente daquele momento e, sobretudo, contou com todo um comprometimento da equipe em fazer acontecer. “Tudo isso é fruto de muito trabalho de um grupo muito dedicado, que está sempre buscando melhorias contínuas”, explica o diretor executivo. “Foi um ano muito difícil, mas que com certeza também deixou muito aprendizado, muita experiência tanto para a equipe, quanto para a empresa”, conclui.

Fonte: http://atarde.uol.com.br/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here