Banner-Topo-Cursos-Todos

Muitos postos de combustíveis, quando da época da realização dos inventários anuais, deparam-se com diferenças entre os estoques físicos e contábeis referentes ao consumo de combustíveis, durante o dia/mês/ano, pelos equipamentos móveis da empresa.

Com vistas a fornecer alguns subsídios para que este problema possa ser entendido e minorado estamos, no presente informativo técnico, fornecendo algumas informações relativas ao controle de volume em tanques de armazenamento de combustíveis visto que diferenças entre estoques físicos e contábeis nos volumes de combustíveis consumidos geram incertezas, desconfiança e desconforto aos controladores dos postos de abastecimento de combustíveis.

8

Taxa de Evaporação

A taxa de evaporação dos combustíveis em tanques de armazenamento de combustíveis depende de inúmeros fatores como variação de temperatura ambiente, área livre do combustível em contato com a atmosfera, existência de válvula de pressão e vácuo nos tubos de respiro dos tanques de armazenamento de combustíveis, volume de combustível abastecido diariamente nos equipamentos móveis e outros. Em face do exposto, não há como se determinar, de forma regular, uma taxa de evaporação que possa ser utilizada para abatimento nas diferenças entre estoque físico e contábil nos fechamentos anuais de inventário. Porém, podemos dizer que as perdas de combustíveis por evaporação são desprezíveis e não influenciam decisivamente nas citadas diferenças.

Diferença de Temperatura

A real causa de diferença estre os estoques físicos e contábeis nos volumes de combustível abastecidos está no fato que o combustível no tanque, ao fechamento do estoque diário, encontra-se à temperatura mais elevada que a temperatura no momento da abertura dos estoques, geralmente pela manhã, antes do primeiro abastecimento.

Os volumes de combustível apresentam grandes variações de volume com a temperatura. Para termos ideia do que representa a variação de volume com a temperatura podemos citar que em um tanque de 15.000 litros com óleo diesel a variação de 1,0 C representa a diferença de 12,0 litros para mais ou para menos dependendo se houve contração ou dilatação do volume do combustível no tanque de armazenamento.

A não contabilização da variação do volume dos combustíveis com a temperatura diariamente é a principal causa das diferenças entre o estoque físico e o contábil registrado pelos usuários. Esta diferença é cumulativa, ou seja, se não for corrigida diariamente ao final do mês, ao final do ano as diferenças ficarão tão grandes a ponto de gerarem suspeitas indevidas.

Banner Loja de Conveniência.

Vamos citar o seguinte exemplo para ilustrar:

1. Foi descarregado em um tanque de armazenamento de gasolina com capacidade de 15.000 litros o volume de 5.000 litros de combustível.

2. A medição de volume com a régua de nível de combustível, antes da descarga do caminhão-tanque, apontou que havia 5.000 litros de gasolina no tanque de armazenamento de combustível.

3. O volume medido com a régua de nível após a descarga do caminhão-tanque apontou 10.000 litros de combustível no tanque de armazenamento e vamos supor, para facilitar o entendimento, que não houve nenhum abastecimento após a descarga do caminhão-tanque.

4. A temperatura do combustível medida no tanque de armazenamento ao fechamento do movimento diário, às 17:00, foi de 25,0 C.

5. A temperatura medida do combustível no tanque de armazenamento no dia seguinte, quando da abertura do estoque do posto de abastecimento às 07:00, era de 20,0 C, ou seja, uma diferença de temperatura de 5,0 C entre a temperatura do combustível no tanque de armazenamento ao fechamento do movimento diário e na abertura do estoque no dia seguinte.

6. Em um tanque com capacidade de 15.000 litros a diferença de 5,0 C na temperatura do combustível no tanque de armazenamento entre o fechamento do movimento do dia ( 17:00; 25,0 C ) e a abertura do estoque no dia seguinte ( 07:00; 20,0 C ) representaria 90,0 litros a menos no estoque contábil ( ver tabela anexa ).

7. Multiplicando-se 90 x 30 dias teríamos 2.700 litros a menos no estoque contábil ao final do mês visto esta diferença ser cumulativa.

Como as temperaturas ao fechamento do movimento diário são, geralmente, mais elevadas que as temperaturas na abertura do estoque é comum haver diferenças de estoque por variação de volume com a temperatura. Haverá, obviamente, variação a maior no estoque se a situação for inversa, ou seja, a temperatura do combustível no fechamento do estoque sendo menor que a da abertura do movimento diário.

12,0 litros para mais ou para menos dependendo se houve contração ou dilatação do volume do combustível no tanque de armazenamento.

A não contabilização da variação do volume dos combustíveis com a temperatura diariamente é a principal causa das diferenças entre o estoque físico e o contábil registrado pelos usuários. Esta diferença é cumulativa, ou seja, se não for corrigida diariamente ao final do mês, ao final do ano as diferenças ficarão tão grandes a ponto de gerarem suspeitas indevidas.

Vamos citar o seguinte exemplo para ilustrar:

1. Foi descarregado em um tanque de armazenamento de gasolina com capacidade de 15.000 litros o volume de 5.000 litros de combustível.

2. A medição de volume com a régua de nível de combustível, antes da descarga do caminhão-tanque, apontou que havia 5.000 litros de gasolina no tanque de armazenamento de combustível.

3. O volume medido com a régua de nível após a descarga do caminhão-tanque apontou 10.000 litros de combustível no tanque de armazenamento e vamos supor, para facilitar o entendimento, que não houve nenhum abastecimento após a descarga do caminhão-tanque.

4. A temperatura do combustível medida no tanque de armazenamento ao fechamento do movimento diário, às 17:00, foi de 25,0 C.

5. A temperatura medida do combustível no tanque de armazenamento no dia seguinte, quando da abertura do estoque do posto de abastecimento às 07:00, era de 20,0 C, ou seja, uma diferença de temperatura de 5,0 C entre a temperatura do combustível no tanque de armazenamento ao fechamento do movimento diário e na abertura do estoque no dia seguinte.

6. Em um tanque com capacidade de 15.000 litros a diferença de 5,0 C na temperatura do combustível no tanque de armazenamento entre o fechamento do movimento do dia ( 17:00; 25,0 C ) e a abertura do estoque no dia seguinte ( 07:00; 20,0 C ) representaria 90,0 litros a menos no estoque contábil ( ver tabela anexa ).

7. Multiplicando-se 90 x 30 dias teríamos 2.700 litros a menos no estoque contábil ao final do mês visto esta diferença ser cumulativa.

Como as temperaturas ao fechamento do movimento diário são, geralmente, mais elevadas que as temperaturas na abertura do estoque é comum haver diferenças de estoque por variação de volume com a temperatura. Haverá, obviamente, variação a maior no estoque se a situação for inversa, ou seja, a temperatura do combustível no fechamento do estoque sendo menor que a da abertura do movimento diário.

12

 Conclusão

O presente informativo é meramente orientativo, não visa constituir procedimento definitivo a ser implantado nas empresas devendo, cada cliente, desenvolver procedimento próprio e nem pretende justificar todas as diferenças entre estoques físico e contábil que podem ser outras que não as mencionadas neste trabalho.

  • Os tanques de armazenamento de combustíveis devem ser arqueados para que as medições com régua de nível sejam confiáveis visto que diferenças nas medições pelo fato dos volumes medidos não serem os reais causam consideráveis diferenças nas medições diárias.
  • As medições de temperatura podem ser realizadas com porta-termômetros devendo as temperaturas ser medidas no meio da massa líquida do tanque de armazenamento de combustível, se possível. Caso isto não possa ser realizado pode-se trabalhar com temperaturas estimativas.
  • A adoção dos citados procedimentos não exclui controles rigorosos de volume na descarga dos caminhões-tanque com vistas aos volumes entregues serem, rigorosamente, os adquiridos e contabilizados.
  • As sugestões técnicas não eximem os administradores dos postos de abastecimento de combustível de efetuar controles rigorosos nos abastecimentos dos equipamentos móveis e controle de estoques.
  • As bombas de abastecimento de combustível devem ser aferidas diariamente com o aferidor de bombas de combustível de 20 litros certificado pelo INMETRO devendo a aferição seguir procedimento especificado em portaria específica do INMETRO. Bombas de abastecimento de combustível dispensando produto a mais que no medidor provocam sensíveis diferenças entre os estoques físico e contábil.

 
Deseja melhorar os processos de medição do seu posto ? Invista na capacitação de sua equipe.
Banner Curso Online Frentista - Topo Notícias

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here