Já ouviu aquela frase: “Quem não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve”?

Ou também: Quem não consegue medir, não conseguirá gerenciar?

Pois é, boa parte da revenda trabalha sequer sabendo onde está.

Para isso, um dos primeiros passos para uma gestão profissional é utilizar o PEF: Ponto de Equilíbrio Financeiro como uma bússola diária.

Considero uma poderosa ferramenta de gestão para o administrador ou gestor do posto.

Mas o Que é PEF: Ponto de Equilibrio Financeiro

Antes de mais nada, nesse artigo abordaremos apenas o PEF, porém é importante informar a existência teórica do Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE) e também do Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC), que em outra oportunidade poderemos tratar em detalhes.

Enfim, basicamente o PEF representa o quanto em Faturamento é Necessário para Cobrir Custos e Despesas Fixas.

Ou seja, quando o posto alcançar uma galonagem ou faturamento identificado como PEF, significa que o posto está no zero a zero e a partir dali, o posto passará a registrar lucros.

Esse faturamento poderá ser realizado por item/produto vendido ou de maneira consolidada pelo faturamento.

Vale ressaltar que apenas entram na medida do PFE os Itens Monetários, ou seja, elementos que passam pelo caixa. Nesse caso amortizações ou depreciações não são considerados.

Além disso, recomendo que o PEF a princípio, seja feito por tipo de combustível, aplicando a proporção do seu volume versus a proporção dos custos e despesas fixas. A loja de conveniência e demais produtos ou serviços, recomendo mapear de maneira segregada.

Problemas Pela Falta do Ponto de Equilíbrio Financeiro

Como já disse, se não consegue medir, não será possível gerenciar.

Portanto, se você como revendedor não faz ideia do seu PEF, os dia a dia no posto fazendo a gestão será mais difícil.

Dentre os problemas na gestão, posso destacar:

Falta Planejamento: O revendedor não conseguindo saber o PEF, não conseguirá ter a previsão de quantos dias precisará trabalhar no mês para cobrir suas despesas e com isso, não poderá planejar campanhas ou promoções

Controle Financeiro Desconhecido: Para saber o PEF é necessário dominar os números financeiros do posto. Qualquer ação errada de campanha por exemplo, pode prejudicar a margem de contribuição.

Desorganização: O revendedor trabalha o mês inteiro sem saber se já conseguiu cobrir suas despesas fixas e também não dizer se haverá previsão de lucros no posto.

Benefícios dos Revendedores que Aplicam o PEF

Existem muito mais benefícios do que problemas pela falta da aplicação do PEF.

Costumo dizer que o PEF faz o revendedor pilotar sua máquina com tranquilidade. Pois todas as ações e alteração de preços são mapeados e saberá qual dia do mês as suas despesas estarão cobertas.

Além disso, saberá com antecedência qual volume de cada combustível deverá ser vendido no mês, podendo prever o dia exato que alcançará o êxito de evitar o prejuízo.

Dentre os demais benefícios:

Fazer campanhas lucrativas no tempo certo: Pode monitorar e variar seus preços durante o mês para bater a meta do PEF.

Saber Quanto Dias Vai Trabalhar para Cobrir Despesas Fixas Operacionais: Essa é a cereja do bolo, pois quando o revendedor tem consciência que as despesas fixas já foram cobertas, ele tem mais flexibilidade e trabalha mais tranquilo.

Saber Quando o Posto Começa a Ter Lucros: A melhor sensação é saber que a partir de determinado dia do mês, o posto está fazendo seu lucro.

Existem outros benefícios que poderia explorar, mas que reserva mais tempo para apresentar.

Como Calcular o PEF: Ponto de Equilíbrio Financeiro do Posto

É possível afirmar que grande parte dos revendedores sequer sabem o que é ponto de equilíbrio e os que sabem, não possuem o conhecimento de todos os elementos que o compõe.

Por isso, recomendo que o revendedor busque ajuda com seu contador ou consultor que faz acompanhamento da operação do posto.

Para que seja possível apurar o PEF no seu posto é necessário dominar com exatidão os custos fixos e despesas fixas (Valores)

É possível encontrar o PEF do seu Posto com aplicação da seguinte forma:

 

PEF=                  DF – (D+A)

__________________

PL – CV

 

Onde,

 

PEF = Ponto de Equilíbrio Financeiro (em Volume Vendido)

PL= Preço de Venda por Litro

CV = Custo Variável por Litro

DF = Despesa Operacional Fixa

D = Depreciações

A = Amortizações

Vamos elaborar um exemplo prático considerando apenas um tipo de combustível, a Gasolina.

PEF=                  R$ 60.000 – (R$ 5.000)

______________________

R$ 5,00 – R$ 4,50

 

PEF= 110.000 litros de Gasolina

Lembrando que que o revendedor deve fazer a proporção de cada combustível quanto a participação nas despesas fixas do posto. Ex: Gas 30%, Eta 40% e Die 30%.

Observações:

Combustíveis são custos variáveis.

Gastos operacionais são despesas fixas, com exceção das comissões na venda de combustível, esse discutível sobre ser custo variável.

Considerações Finais

Nota do autor: Esse conteúdo apresentado é considerado uma base introdutória sobre o tema, que poderá ser aprofundada e melhor elaborada por cada revendedor com a ajuda do seu contador ou responsável pelas finanças.

Para saber mais a respeito dos temas abordados neste artigo, convidamos você conhecer nosso Curso Avançado de Gestão Financeira 100% voltado para Postos de Combustíveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here